(Meu reino é um prado morto)

A minha mão não cobre o mundo todo,
Mas a sombra assusta os passageiros
Viajantes que no meu albergue entram,
Venho de candeio na mão… bruxuleando,

Apetece-me também eu partir quando chove
Mas dita o destino,-de que não sou dono-
Criar bem dentro uma espécie de abismo
Tutelado por uma outra dimensão de mim próprio,

Sonho de que sou eu mesmo a quem
Obedece a trovoada e o mar oceano
Revolto, acordo com a serenidade de um seixo
Que tem qualquer outra pessoa sem ter rosto,

Igual a eles em tudo e até a morte receio,
Sobretudo eu, de que serve ser do sonho
Autoridade ou rei príncipe se não mando
Sequer nos vencidos, tanto quanto eu sou

Quando acordo, terreno e ilucido, viajando
De noite sou rei dos bruxos, acordado sou
Insignificante baixo, seixo cego, sargo morto
Assim como tu, que não és nada nem ninguém

E nem eu encubro e luz dum todo, esta ou outra,
A ciência ou a metafísica, Venho de candeia na mão
Como se os meus pensamentos fossem
Realmente vitais p’ras dimensões que tem a Terra

No universo, às vezes deixo-me possuír
P’lo logro, outro modo de ser quem sou
E sonho que posso içar palavras em tribuna
Alta, adaptada a mim mesmo e acender a vela,

Como se tivesse atravessado eu um braseiro
Agnóstico e místico, sem rosto pra que me esqueçam,
Apenas sussurro e arvoredo, venho de candeio na mão,
Cedo é e a paisagem o desenho geométrico mais antigo

Do mundo, eu pra o abrir, cego descubro que
(meu reino é um prado morto)

Joel Matos (01/2018)
http://joel-matos.blogspot.com

Submited by

Jueves, Febrero 1, 2018 - 09:59

Poesia :

Su voto: Nada (1 vote)

Joel

Imagen de Joel
Desconectado
Título: Membro
Last seen: Hace 11 horas 52 mins
Integró: 12/20/2009
Posts:
Points: 40692

Comentarios

Imagen de Joel

.

.

Imagen de Joel

.

.

Imagen de Joel

.

.

Imagen de Joel

.

.

Add comment

Inicie sesión para enviar comentarios

other contents of Joel

Tema Título Respuestas Lecturas Último envíoordenar por icono Idioma
Ministério da Poesia/Aforismo Chic 10 3.073 11/28/2018 - 16:34 Portuguese
Ministério da Poesia/Aforismo Lápis 11 1.407 11/28/2018 - 16:33 Portuguese
Ministério da Poesia/Aforismo Erva 10 1.863 11/28/2018 - 16:32 Portuguese
Ministério da Poesia/Aforismo gripe 10 1.056 11/28/2018 - 16:30 Portuguese
Ministério da Poesia/Dedicada phyllis 10 1.077 11/28/2018 - 16:29 Portuguese
Ministério da Poesia/Aforismo candeias as avessas 10 1.538 11/28/2018 - 16:27 Portuguese
Ministério da Poesia/Aforismo veneno 10 1.770 11/28/2018 - 16:26 Portuguese
Ministério da Poesia/Dedicada Iris 10 1.226 11/28/2018 - 16:24 Portuguese
Ministério da Poesia/Aforismo espelho meu 10 1.855 11/28/2018 - 16:22 Portuguese
Ministério da Poesia/Aforismo seda 10 2.603 11/28/2018 - 16:21 Portuguese
Ministério da Poesia/Aforismo Dedragão 10 1.755 11/28/2018 - 16:19 Portuguese
Ministério da Poesia/Aforismo Mal feito eu 10 664 11/28/2018 - 16:17 Portuguese
Ministério da Poesia/Aforismo larva ou crisálida 10 932 11/28/2018 - 16:16 Portuguese
Poesia/General De mim não falo mais 10 870 11/18/2018 - 17:04 Portuguese
Poesia/General Não ha paisagem que ame mais 10 1.210 11/15/2018 - 21:32 Portuguese
Prosas/Otros Requiem for a dream 10 2.292 11/15/2018 - 21:32 Portuguese
Poesia/General O rio só precisa desejar a foz 10 1.023 11/13/2018 - 13:43 Portuguese
Poesia/General Se pudesse pegava em mim e seria outra coisa qualquer 11 1.018 11/13/2018 - 13:41 Portuguese
Poesia/General Vivo numa casa sem vista certa 11 1.763 11/13/2018 - 13:39 Portuguese
Ministério da Poesia/General Amor omisso. 11 955 10/16/2018 - 17:32 Portuguese
Poesia/General I can fly ... 11 875 10/16/2018 - 09:41 Portuguese
Poesia/General -O corte do costume, se faz favor – 14 568 10/16/2018 - 09:38 Portuguese
Ministério da Poesia/General Jaz por terra... 13 743 10/16/2018 - 09:37 Portuguese
Ministério da Poesia/General Eu sou o oposto, 13 653 10/16/2018 - 09:36 Portuguese
Ministério da Poesia/General Escolho fugir de mim, 13 1.239 10/16/2018 - 09:35 Portuguese