CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

A hora é do tempo, a Ágora

Todas as minhas horas são eleitas p’lo uso.
Por me permitirem um usar diferente
Nas horas cujo fato não me serve de refúgio,
Quer me fite ao espelho, de lado ou de frente,

Uso de fato e gravata que serve a quem se chama vazio,
Vago, inexistente e então esse, sou de facto, eu.
O facto é que as horas sendo um axioma de Descartes
Todas as horas minhas, serão viúvas, ou eu; delas órfão.

Nem penso se sou real pra elas, ou se real existo,
Sei por certo descartar Descartes e visto o tempo,
O fato e as luvas como um tal Maquiavel Fausto,
Ou Abias Rei, tendo na casula, ao invés; o cruxifixo,

As minhas horas, feitas todas de simples uso,
Porque os sentidos que uso não são medíveis,
Nem medível é o céu, que imagina um cego,
Apenas pelo tato, sendo esse lato teto, o meu lema,

A mesma desilusão sem fim, apesar do uso diferente,
E do tema que colo ao peito, em cada hora…
Não estranho pois, se na minha alma ausente,
Não sobrar atenção, pras honras no balcão desta Terra.

Com as horas, é tarde e decresce a aptidão de viver
Entre gente, como se vivesse por viver, sem nada à frente,
Por ser tarde e a hora não crescesse, por dentro da noite
De mim, que tenho a alma fora e a hora é do tempo, a àgora..

Jorge Santos (02/2014)
http://joel-matos.blogspot.com

Submited by

sábado, março 3, 2018 - 22:46

Ministério da Poesia :

Your rating: None Average: 5 (1 vote)

Joel

imagem de Joel
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 6 dias 23 horas
Membro desde: 12/20/2009
Conteúdos:
Pontos: 40693

Comentários

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

eu; delas órfão. Nem penso se

eu; delas órfão.

Nem penso se sou real pra elas, ou se real existo,
Sei por certo descartar Descartes e visto o tempo,
O fato e as luvas como um tal Maquiavel Fausto,

imagem de Joel

eu; delas órfão. Nem penso se

eu; delas órfão.

Nem penso se sou real pra elas, ou se real existo,
Sei por certo descartar Descartes e visto o tempo,
O fato e as luvas como um tal Maquiavel Fausto,

imagem de Joel

eu; delas órfão. Nem penso se

eu; delas órfão.

Nem penso se sou real pra elas, ou se real existo,
Sei por certo descartar Descartes e visto o tempo,
O fato e as luvas como um tal Maquiavel Fausto,

imagem de Joel

eu; delas órfão. Nem penso se

eu; delas órfão.

Nem penso se sou real pra elas, ou se real existo,
Sei por certo descartar Descartes e visto o tempo,
O fato e as luvas como um tal Maquiavel Fausto,

imagem de Joel

decresce a aptidão de

decresce a aptidão de viver

Entre gente

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Joel

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Geral Na minha terra não há terra, 0 437 06/02/2020 - 16:16 Português
Poesia/Geral A sucessão dos dias e a sede de voyeur ... 0 194 06/02/2020 - 16:09 Português
Poesia/Geral O Amor é uma nação em risco, 1 447 05/03/2020 - 00:37 Português
Ministério da Poesia/Geral Ninguém me distingue de quem sou eu ... 1 227 04/20/2020 - 23:34 Português
Ministério da Poesia/Geral A um Deus pouco divino … 1 414 04/19/2020 - 12:02 Português
Poesia/Geral “Hic sunt dracones”, A dor é tudo … 4 454 04/15/2020 - 16:25 Português
Poesia/Geral A Morte não é Bem-Vinda ... 2 405 04/15/2020 - 15:46 Português
Poesia/Geral Objectos próximos, 0 511 04/15/2020 - 12:06 Português
Poesia/Geral Daniel Faria, excerto “Do que era certo” 0 455 04/15/2020 - 11:58 Português
Ministério da Poesia/Geral O avesso do espelho... 5 266 03/01/2020 - 21:02 Português
Poesia/Geral A síndrome de Savanah 0 381 03/01/2020 - 20:26 Português
Ministério da Poesia/Geral O Estado da Dúvida 2 230 01/24/2020 - 21:05 Português
Ministério da Poesia/Geral Patchwork... 0 376 01/08/2020 - 14:05 Português
Ministério da Poesia/Geral Vivo do oficio das paixões 0 350 01/08/2020 - 13:55 Português
Ministério da Poesia/Geral Como morre um Rei de palha... 0 239 01/08/2020 - 13:50 Português
Ministério da Poesia/Geral "Sic est vulgus" 0 408 01/08/2020 - 12:47 Português
Ministério da Poesia/Geral Quantos Césares fui eu !!! 0 265 01/08/2020 - 12:40 Português
Ministério da Poesia/Geral Nada se parece comigo 0 294 01/08/2020 - 12:34 Português
Ministério da Poesia/Geral Pedra, tesoura ou papel..."Do que era certo" 0 313 01/08/2020 - 12:27 Português
Ministério da Poesia/Geral Sou "O-Feito-Do-Primeiro-Vidente" 0 248 01/08/2020 - 12:11 Português
Ministério da Poesia/Geral Morri lívido e nu ... 0 279 01/08/2020 - 12:03 Português
Ministério da Poesia/Geral Ladram cães à distância, Mato o "Por-Matar" ... 0 314 01/08/2020 - 11:45 Português
Ministério da Poesia/Geral Excerto “do que era certo” 0 280 01/08/2020 - 11:38 Português
Ministério da Poesia/Geral Rua dos Douradores 30 ... 0 332 01/08/2020 - 11:32 Português
Ministério da Poesia/Geral A Rua ao meu lado ou O Valor do riso... 0 254 01/08/2020 - 11:24 Português