CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Canção em Espiral

E esse braseiro no meu peito mãe!?
Como é que apago?
E essa fornalha em minha boca mãe!?
Como é que calo!?

Essa ferida de amores mãe, será que cura!?
Esse sendero no deserto, Como atravesso!?

E essa vida de cigano pai!?
Como te vejo!?
E a memória do passado pai!?
Como desejo!?

E o que faço dessa pedra, amor!?
Em meu sapato!?
Como é que domo a besta-fera, amor!?
Em meu encalço!?

E se eu cair antes do tempo mãe!?
Como renasço!?
Diz-me qual berço traz de novo
O seu abraço!?

- É só o tempo! Velho filho!
- E o esforço de seus dois braços e o trabalho.
A sua luta eu abençôo, e reconheço seu recomeço...

Salva de palmas!

Faz dessas dúvidas, poemas, filho!
Vai dar a volta pelo mundo, anda!
Que nessa vida não tem trilho, voa!
Manda um postal da Patagônia, homem!

Vai meu querido, eu li num livro
O seu futuro será brilhante!!
Vai pela sombra e com cuidado!
Vai meu amado, de agasalho...

Li num diário bem antigo...
Que tens amigos por toda parte!
Que prosa boa, amor, eu digo!...
Eu agradeço em meu silencio: Muito obrigado!!

Que já confio novamente em minha historia,
Que tem tragédias como todas! Esse é o mistério:
Fazer do medo, ou da queda, ou do cansaço,
Que seja assim dança mais leve, um novo passo!

Cabeça erguida, essa é a marcha! Sossegue!

Submited by

sábado, abril 16, 2011 - 01:54

Poesia :

No votes yet

marcelocampello

imagem de marcelocampello
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 6 anos 28 semanas
Membro desde: 03/02/2011
Conteúdos:
Pontos: 310

Comentários

imagem de MarneDulinski

Canção em Espiral

Lindo texto, diferente, depois assimilei e gostei!

Meus parabéns,

MarneDulinski

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of marcelocampello

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Meditação A história da cabeça que fugiu dos pés! 4 481 06/10/2012 - 22:03 Português
Poesia/Meditação The story of a head that ran from its feet 0 921 06/10/2012 - 12:07 inglês
Poesia/Geral Dr. Jekyll: Pb > Au 0 664 12/12/2011 - 11:26 Português
Poesia/Geral Cavaleiro de Copas 0 575 12/09/2011 - 19:40 Português
Poesia/Intervenção BELO MONTE 0 652 12/09/2011 - 19:03 Português
Poesia/Geral Gilliat e Deruchete 1 1.359 12/01/2011 - 18:42 Português
Poesia/Geral Pessoas são como países (reeditado) 0 816 10/25/2011 - 14:47 Português
Poesia/Geral PESSOAS SAO COMO PAISES 0 697 10/25/2011 - 14:41 Português
Poesia/Geral ENTROPIA MONETÁRIA 0 939 10/07/2011 - 15:50 Português
Poesia/Geral MORO NESSA CASA VAZIA 0 979 10/07/2011 - 15:46 Português
Poesia/Fantasia Amores e Mamutes 4 882 04/30/2011 - 16:59 Português
Poesia/Amizade Jocasta, Amelie Poulain e Lili Carabina 2 1.234 04/28/2011 - 20:40 Português
Poesia/Geral A MENINA NA CAVERNA 0 1.074 04/27/2011 - 15:16 Português
Poesia/Geral O Eco, a Sombra e as Estrelas 1 1.247 04/27/2011 - 03:48 Português
Poesia/Geral FANTASIA MIGRANTE 3 961 04/19/2011 - 19:00 Português
Poesia/Geral Canção em Espiral 1 761 04/16/2011 - 04:08 Português
Poesia/Geral Tropa serena 0 1.213 04/16/2011 - 01:52 Português
Poesia/Geral Desculpai-me insetos! 2 1.364 04/13/2011 - 22:52 Português
Poesia/Geral Algum abandono previsível! 3 1.040 04/12/2011 - 14:02 Português
Poesia/Geral Mom made a doll 0 927 04/09/2011 - 23:18 inglês
Poesia/Geral Jocasta, Amelie Poulain e Lili Carabina 0 1.022 04/09/2011 - 16:18 inglês
Poesia/Geral The poem's not love 0 975 04/09/2011 - 16:17 inglês
Poesia/Geral Adrift 0 1.215 04/09/2011 - 16:16 inglês
Poesia/Geral Encerrai a cavalgada! 2 876 04/09/2011 - 11:51 Português
Poesia/Geral Passou o tempo querida! 6 1.011 04/05/2011 - 12:33 Português