Passou o Outono já, já torna o frio...

Passou o Outono já, já torna o frio...

Passou o Outono já, já torna o frio...
– Outono de seu riso magoado.
Álgido Inverno! Oblíquo o sol, gelado...
– O sol, e as águas límpidas do rio.

Águas claras do rio! Aguas do rio,
Fugindo sob o meu olhar cansado,
Para onde me levais meu vão cuidado?
Aonde vais, meu coração vazio?

Ficai, cabelos dela, flutuando,
E, debaixo das águas fugidias,
Os seus olhos abertos e cismando...

Onde ides a correr, melancolias?
– E, refractadas, longamente ondeando,
As suas mãos translúcidas e frias...

Camilo Pessanha

Submited by

Thursday, April 9, 2009 - 22:37

Poesia Consagrada :

No votes yet

CamiloPessanha

CamiloPessanha's picture
Offline
Title: Membro
Last seen: 9 years 13 weeks ago
Joined: 04/09/2009
Posts:
Points: 150

Add comment

Login to post comments

other contents of CamiloPessanha

Topic Title Replies Views Last Postsort icon Language
Fotos/Profile Camilo Pessanha 0 554 11/23/2010 - 23:37 Portuguese
Poesia Consagrada/General Final 0 411 11/19/2010 - 15:49 Portuguese
Poesia Consagrada/General Voz débil que passas 0 390 11/19/2010 - 15:49 Portuguese
Poesia Consagrada/General Se andava no Jardim 0 526 11/19/2010 - 15:49 Portuguese
Poesia Consagrada/General Singra o navio. Sob a agua clara 0 426 11/19/2010 - 15:49 Portuguese
Poesia Consagrada/General Ó meu coração torna para traz 0 378 11/19/2010 - 15:49 Portuguese
Poesia Consagrada/General Esvelta surge! Vem das aguas, nua 0 562 11/19/2010 - 15:49 Portuguese
Poesia Consagrada/Sonnet Desce em folhedos tenros a collina 0 337 11/19/2010 - 15:49 Portuguese
Poesia Consagrada/Sonnet Tatuagens complicadas do meu peito 0 741 11/19/2010 - 15:49 Portuguese
Poesia Consagrada/General Estátua 0 252 11/19/2010 - 15:49 Portuguese
Poesia Consagrada/General Caminho 0 441 11/19/2010 - 15:49 Portuguese
Poesia Consagrada/General Interrogação 0 337 11/19/2010 - 15:49 Portuguese
Poesia Consagrada/General Viola Chinesa 0 398 11/19/2010 - 15:49 Portuguese
Poesia Consagrada/General Castelo de Óbidos 0 349 11/19/2010 - 15:49 Portuguese
Poesia Consagrada/General Violoncelo 0 363 11/19/2010 - 15:49 Portuguese
Poesia Consagrada/General Ao longe os barcos de flores 0 360 11/19/2010 - 15:49 Portuguese
Poesia Consagrada/General Fonógrafo 0 456 11/19/2010 - 15:49 Portuguese
Poesia Consagrada/General II A Morte, no Pego-Dragão 0 308 11/19/2010 - 15:49 Portuguese
Poesia Consagrada/General E eis quanto resta do idílio acabado 0 445 11/19/2010 - 15:49 Portuguese
Poesia Consagrada/General Inscrição 0 352 11/19/2010 - 15:49 Portuguese
Poesia Consagrada/General Passou o Outono já, já torna o frio... 0 392 11/19/2010 - 15:49 Portuguese
Poesia Consagrada/General Quem poluiu, quem rasgou os meus lençóis de linho 0 471 11/19/2010 - 15:49 Portuguese
Poesia Consagrada/General Ao meu coração um peso de ferro 0 423 11/19/2010 - 15:49 Portuguese
Poesia Consagrada/General Chorae arcadas 0 335 11/19/2010 - 15:49 Portuguese
Poesia Consagrada/General Canção da Partida 0 408 11/19/2010 - 15:49 Portuguese