CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Cidade ao entardecer (antigo)

Ao retomar ao meu doce lar,
Equanto caminho pelo paceio,
Vejo as pessoas como no recreio,
Apressadas, agitadas a amontoar.

Aqueles homem pobres, resignados,
Sentam, sujos, no chão,
E como invisívieis para a multidão,
Ninguém os sente, ninguem os vê. Coitados!

O barulho intenso da cidade,
Com o cheiro a combustível queimado,
É idndiferente ao casal apaixonado,
Que vive o inocente amor; a felicidade.

Pela calçada, alegres brincam,
As crianças morenas de sujidade,
Suor intenso escorre. É a mossidade,
Que vive despreocupada(que a dor não sintam).

E de quando em quando se vê correr,
A mulher apressada, para o jantar,
Que ainda não fez, e só de pensar
A preguiça aclama para não o fazer.

Sociedade honesta, a do trabalhador,
Que se esfola, e agradece a Deus,
Pela miséria, que recebe, que para os seus,
Chega, com mais um quanto de amor

Submited by

domingo, março 6, 2011 - 00:37

Poesia :

No votes yet

paullopex

imagem de paullopex
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 2 horas 33 minutos
Membro desde: 04/05/2010
Conteúdos:
Pontos: 141

Comentários

imagem de Patrícia Taz

  É a luta do povo que

 

É a luta

do povo

que labuta

e incha do choro

que dele não brota

Exorta na euforia

da sociedade torta

e dentro de portas

sofre a agonia

do dia-a-dia

 

Gostei de ler

Bjo.

PaTaz

imagem de paullopex

Adoro as suas

Adoro as suas respostas...

Obrigado

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of paullopex

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Amor Desencontros 3 162 05/23/2020 - 03:26 Português
Poesia/Geral está bem assim? 1 395 03/08/2018 - 18:42 Português
Poesia/Amor Porto de Abrigo 4 474 03/06/2018 - 16:22 Português
Poesia/Meditação E, como amamos? 1 314 03/05/2018 - 22:19 Português
Poesia/Meditação Quanto mede o infinito? 1 469 03/01/2018 - 18:06 Português
Poesia/Amor A dança 1 197 06/05/2014 - 05:40 Português
Poesia/Amor Noites de Inverno 1 534 01/14/2014 - 13:45 Português
Poesia/Alegria Primavera 0 299 08/18/2013 - 01:56 Português
Poesia/Amor Aventura 0 437 08/19/2011 - 15:21 Português
Poesia/Amor Desconhecida 0 437 07/06/2011 - 03:28 Português
Poesia/Meditação A regra 4 605 04/17/2011 - 13:16 Português
Poesia/Intervenção Que se CALEM, que se GRITE!!!! 2 395 03/15/2011 - 00:45 Português
Poesia/Geral Cidade ao entardecer (antigo) 2 447 03/12/2011 - 02:14 Português
Poesia/Amor Tu és... 0 357 03/06/2011 - 00:50 Português
Poesia/Desilusão Decadência 0 842 03/06/2011 - 00:46 Português
Poesia/Desilusão Múmia Sadia 2 388 03/06/2011 - 00:34 Português
Poesia/Desilusão Não!!! 0 371 03/06/2011 - 00:30 Português
Poesia/Meditação A estrada 4 490 03/05/2011 - 23:44 Português
Poesia/Pensamentos Podia-,os dar um passeio. 0 440 03/05/2011 - 02:49 Português
Poesia/Paixão E de repente... 0 484 03/05/2011 - 02:47 Português
Poesia/Meditação Actor 0 399 03/05/2011 - 02:43 Português
Poesia/Aforismo Noturno(pelas normas) 0 503 03/05/2011 - 02:41 Português
Poesia/Desilusão Saudade, sempre demais. 0 506 03/05/2011 - 02:38 Português
Poesia/Meditação Eterium 0 658 03/05/2011 - 02:37 Português
Poesia/Intervenção Revolução 0 397 03/05/2011 - 02:34 Português