CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

E de repente...

E de repente podia jurar,
Como se o futuro se tornasse tão obvio
E tu te tornasses o meu incanssável ópio
impossivel de não desejar.

Podia jurar, sem qualquer resguardo,
sem qualquer medo ou tormenta,
qualquer gaguejar improvisado
que um apaixonado implementa.

Que tudo, tudo se tornou tão claro
e que ao olhar-te me sinto embriagado
e caio com prazer e sem amparo
neste vicio desprotegido e apaixonado.

E no fundo, eu sei que tudo é uma utopia,
um sonho irreal e frustrado,
uma loucura tão doce, uma fantasia,
um delirar triste e emocionado.

 Mas será errado acreditar...

Na pulsação que me impões a cada movimento?
No desejo inocente de te sentir cada vez mais perto?
No sonho que nasce de um sorriso aberto
e me percorre o corpo num arrepio, a cada momento?

Não penses que exagero nas palavras que vês,
elas nascem dentro de mim novamente
e querem explodir constantemente,
por tudo aquilo que és.

Não me importo que me compares a um louco,
perto de ti sinto-me mesmo descontrolado
e dou sentido a expressão "perdidamente apaixonado",
porque todo o tempo contigo me sabe a pouco.

Encontrei em ti a Musa que estava esquecida,
Mas tenho medo que não entendas os meus porquês,
ainda sem sequer saber bem quem és,
eu ja te sinto como a mulher da minha vida.

Foi mais um dia banal que passou,
e como sempre estavas divinal
nessa tua presença quase irreal,
de tão sublime beleza que se formou.

Olhei para ti e ignorei-te,mantive a calma,
deixei que o meu corpo te sentisse,
voltei me de costas com semblante triste,
porque o teu silêncio revolta-me a alma.
 

Submited by

sábado, março 5, 2011 - 01:47

Poesia :

No votes yet

paullopex

imagem de paullopex
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 32 semanas 5 dias
Membro desde: 04/05/2010
Conteúdos:
Pontos: 148

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of paullopex

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Intervenção I CAN'T BREATH 0 263 05/31/2020 - 00:18 Português
Poesia/Amor Desencontros 7 549 05/29/2020 - 23:42 Português
Poesia/Geral está bem assim? 1 480 03/08/2018 - 17:42 Português
Poesia/Amor Porto de Abrigo 4 563 03/06/2018 - 15:22 Português
Poesia/Meditação E, como amamos? 1 493 03/05/2018 - 21:19 Português
Poesia/Meditação Quanto mede o infinito? 1 588 03/01/2018 - 17:06 Português
Poesia/Amor A dança 1 329 06/05/2014 - 04:40 Português
Poesia/Amor Noites de Inverno 1 702 01/14/2014 - 12:45 Português
Poesia/Alegria Primavera 0 428 08/18/2013 - 00:56 Português
Poesia/Amor Aventura 0 640 08/19/2011 - 14:21 Português
Poesia/Amor Desconhecida 0 539 07/06/2011 - 02:28 Português
Poesia/Meditação A regra 4 741 04/17/2011 - 12:16 Português
Poesia/Intervenção Que se CALEM, que se GRITE!!!! 2 483 03/14/2011 - 23:45 Português
Poesia/Geral Cidade ao entardecer (antigo) 2 612 03/12/2011 - 01:14 Português
Poesia/Amor Tu és... 0 452 03/05/2011 - 23:50 Português
Poesia/Desilusão Decadência 0 998 03/05/2011 - 23:46 Português
Poesia/Desilusão Múmia Sadia 2 471 03/05/2011 - 23:34 Português
Poesia/Desilusão Não!!! 0 512 03/05/2011 - 23:30 Português
Poesia/Meditação A estrada 4 598 03/05/2011 - 22:44 Português
Poesia/Pensamentos Podia-mos dar um passeio. 0 530 03/05/2011 - 01:49 Português
Poesia/Paixão E de repente... 0 585 03/05/2011 - 01:47 Português
Poesia/Meditação Actor 0 570 03/05/2011 - 01:43 Português
Poesia/Aforismo Noturno(pelas normas) 0 594 03/05/2011 - 01:41 Português
Poesia/Desilusão Saudade, sempre demais. 0 609 03/05/2011 - 01:38 Português
Poesia/Meditação Eterium 0 809 03/05/2011 - 01:37 Português