CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Temporal

Este sou eu, este é o filme da minha vida, sem pausas. É ir à cozinha fazer pipocas e ao voltar, o personagem principal que era criança, já tinha crescido. Esta é a minha vida. A sensação de a ter vivido e não me lembrar. Não dei conta do tempo que passou, desde o tempo em que não pensava que o tempo passava por mim. Desde o tempo em que era criança e não pensava no tempo, porque nesse tempo, passava o tempo todo a ser criança. Hoje, passo o tempo todo a ser eu no passado, no presente e no futuro, tudo ao mesmo tempo, e isto é querer subir e descer um escadote sem degraus. É como ter um ambiente de trabalho dentro do computador da mente, e nele, três janelas temporais abertas ao mesmo tempo, e ir saltando rapidamente entre elas em pensamento, mas o pouco de tempo que demoro a alternar-me entre as janelas, não comporta o muito de tempo que já passou por mim, o que torna o eu que existe lá, dentro das janelas, temporalmente incompatível com o eu que existe aqui, em tempo real.

Submited by

domingo, fevereiro 1, 2015 - 11:47

Poesia :

Your rating: None (1 vote)

nunomarques

imagem de nunomarques
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 9 semanas 17 horas
Membro desde: 02/09/2010
Conteúdos:
Pontos: 1395

Comentários

imagem de Joel

existo aqui, em tempo real.

existo aqui, em tempo real.

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of nunomarques

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Geral Apontamentos inúteis aos dedos de uma mão só 0 162 10/13/2020 - 17:52 Português
Poesia/Geral Cada noite é um poço onde o dia vai matar a sede 0 90 09/29/2020 - 08:46 Português
Poesia/Geral Temporal 1 580 02/27/2018 - 10:17 Português
Poesia/Geral A coisa mais estúpida do mundo 1 976 02/27/2018 - 10:16 Português
Poesia/Geral Justificação racional 0 631 01/30/2015 - 11:36 Português
Poesia/Geral Esclarecimento 0 632 09/09/2014 - 11:23 Português
Poesia/Geral Poema e chuva 1 732 05/25/2014 - 03:17 Português
Poesia/Geral Debruçado sobre a janela 0 783 03/17/2014 - 09:47 Português
Poesia/Geral Strange 0 829 03/17/2014 - 09:44 Português
Poesia/Geral Viver é sair para a rua de manhã, aprender a amar e à noite voltar para casa. 0 824 01/30/2014 - 19:37 Português
Poesia/Geral Interior 0 691 09/15/2013 - 10:00 Português
Poesia/Geral Ilusório 0 777 09/13/2013 - 16:26 Português
Poesia/Geral O fim é uma despedida sem adeus 0 1.516 09/09/2013 - 19:13 Português
Poesia/Geral Momento 0 710 05/21/2013 - 15:38 Português
Poesia/Geral “La folie” 0 596 05/08/2013 - 13:44 Português
Poesia/Geral Á luz de uma lua de Saturno 0 640 04/16/2013 - 08:10 Português
Poesia/Geral Insónia 0 530 04/15/2013 - 10:25 Português
Poesia/Geral Caravelas azuis céu adentro por dois mil anos 4 1.022 05/23/2012 - 22:28 Português
Poesia/Geral Concordata - O desejo 2 1.021 05/14/2012 - 15:38 Português
Poesia/Tristeza Qualquer coisa sem propósito 3 938 04/20/2012 - 14:24 Português
Poesia/Geral Concordata - A cena 1 1.001 03/07/2012 - 08:47 Português
Poesia/Geral Concordata - A máscara 2 865 03/07/2012 - 08:43 Português
Poesia/Geral Os meus braços são estradas 3 849 02/25/2012 - 15:59 Português
Poesia/Geral Dança bailarina até ao fim da noite 5 931 02/19/2012 - 22:45 Português
Poesia/Geral A fria realidade dos poemas sem calor 0 897 12/19/2011 - 20:29 Português