Extravio de si

Viu-se no ar discreto sobre as copas das árvores
Um pássaro cujo nome Sentido,
Flutuava macio solerte aos ares céus seus campos
Na cavalgada de aves a lutar com os ventos.
Bicos intuitivos com pontas agudas
Em anseios seios nuvens
A amansá-las para tornar-se amante da brisa antiga namorada do além.

Amável céu que não há par,
Estudo do puro que não há livro.
Tão antigo quanto um segundo,
Tão severo quanto cravos na pele de Javé.

Levou-me consigo,
Deixou-me ao topo de todos os nortes do logo,
Foi breve
“Logo, sem palavras tu regressarás em busca doutros curiosos filhos do o quê”,
Por cúmulo assentou-se vazio
Na hombridade cansada daquilo que não existe contar.

Todos ausentaram-se de suas carnes,
Mas pegaram outros rumos.
O Sentido morreu ao trazer em seu voo a morte.

Soube que era errado mostrar a ele o fora daqui,
Pois bem!
Fiz-me de seu tino.
Soube que foi a automorte tão desventurada
E assim arremeteu-se forte na morte
Tão pobre Sentido.

Submited by

Martes, Septiembre 25, 2012 - 16:10

Poesia :

Sin votos aún

Alcantra

Imagen de Alcantra
Desconectado
Título: Membro
Last seen: Hace 6 años 42 semanas
Integró: 04/14/2009
Posts:
Points: 1563

Add comment

Inicie sesión para enviar comentarios

other contents of Alcantra

Tema Título Respuestas Lecturas Último envíoordenar por icono Idioma
Poesia/Amor Soma de poemas 5 1.209 02/27/2018 - 12:09 Portuguese
Poesia/General Abismo em seu libré 0 1.372 12/04/2012 - 00:35 Portuguese
Poesia/General Condado vermelho 0 1.919 11/30/2012 - 22:57 Portuguese
Poesia/General Ois nos beijos 1 1.282 11/23/2012 - 11:08 Portuguese
Poesia/General Dores ao relento 0 1.584 11/13/2012 - 21:05 Portuguese
Poesia/General Memórias do norte 1 800 11/10/2012 - 19:03 Portuguese
Poesia/General De vez tez cromo que espeta 0 1.590 11/05/2012 - 15:01 Portuguese
Poesia/General Cacos de teus átomos 0 1.131 10/29/2012 - 10:47 Portuguese
Poesia/General Corcovas nas ruas 0 1.751 10/22/2012 - 11:58 Portuguese
Poesia/General Mademouselle 0 988 10/08/2012 - 15:56 Portuguese
Poesia/General Semblantes do ontem 0 1.133 10/04/2012 - 02:29 Portuguese
Poesia/General Extravio de si 0 1.174 09/25/2012 - 16:10 Portuguese
Poesia/General Soprosos Mitos 0 1.801 09/17/2012 - 22:54 Portuguese
Poesia/General La boheme 0 1.557 09/10/2012 - 15:51 Portuguese
Poesia/General Mar da virgindade 2 1.065 08/27/2012 - 16:26 Portuguese
Poesia/General Gatos-de-algália 0 1.833 07/30/2012 - 16:16 Portuguese
Poesia/General Vidas de vidro num sutil beijo sem lábios 2 1.172 07/23/2012 - 01:48 Portuguese
Poesia/General Vales do céu 0 944 07/10/2012 - 11:48 Portuguese
Poesia/General Ana acorda 1 1.425 06/28/2012 - 17:05 Portuguese
Poesia/General Prato das tardes de Bordô 0 1.145 06/19/2012 - 17:00 Portuguese
Poesia/General Um sonho que se despe pela noite 0 1.178 06/11/2012 - 14:11 Portuguese
Poesia/General Ave César! 0 1.961 05/29/2012 - 18:54 Portuguese
Poesia/General Rodapés de Basiléia 1 1.142 05/24/2012 - 03:29 Portuguese
Poesia/General As luzes falsas da noite 0 1.947 05/14/2012 - 02:08 Portuguese
Poesia/General Noites com Caína 0 1.216 04/24/2012 - 16:19 Portuguese