CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

O triunfo dos relógios ...

O tempo,

Sempre melhor o que passou
Por mim, todos os sonhos, habituais
Profissões e talentos, familiares
Que nunca vi, pensar que vivi
É realmente um mistério e o tempo,

Sempre melhor o que passou,
Assim como a impressão de claustro
Que sempre existe no fim de cada
Cela, em mim a mesma e igual sombra,
Um mesmo coração cheio de vidros

E dor, o triunfo dos relógios, das
Sensações sem precisão demais...
O despontar de ridículos remorsos,
Um prazer intimo de sermos quem
Não somos tal como é a obediência

A estranhos que passam por nós fazendo
A respiração pela boca, sempre
Melhor quem passou que quem fica
Como que se apaga o que sou sem ser,
Tão vago, magra visão ou modo de olhar

O tempo.

Joel Matos (04/2018)
http://joel-matos.blogspot.com

Submited by

quarta-feira, abril 18, 2018 - 16:24

Poesia :

Your rating: None (1 vote)

Joel

imagem de Joel
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 1 semana 13 horas
Membro desde: 12/20/2009
Conteúdos:
Pontos: 41234

Comentários

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

O tempo, Sempre melhor o que

O tempo,

Sempre melhor o que passou
Por mim, todos os sonhos, habituais
Profissões e talentos, familiares
Que nunca vi, pensar que vivi
É realmente um mistério e o tempo,

Sempre melhor o que passou,
Assim como a impressão de claustro
Que sempre existe no fim de cada
Cela,

imagem de Joel

O tempo, Sempre melhor o que

O tempo,

Sempre melhor o que passou
Por mim, todos os sonhos, habituais
Profissões e talentos, familiares
Que nunca vi, pensar que vivi
É realmente um mistério e o tempo,

Sempre melhor o que passou,
Assim como a impressão de claustro
Que sempre existe no fim de cada
Cela,

imagem de Joel

O tempo, Sempre melhor o que

O tempo,

Sempre melhor o que passou
Por mim, todos os sonhos, habituais
Profissões e talentos, familiares
Que nunca vi, pensar que vivi
É realmente um mistério e o tempo,

Sempre melhor o que passou,
Assim como a impressão de claustro
Que sempre existe no fim de cada
Cela,

imagem de Joel

O tempo, Sempre melhor o que

O tempo,

Sempre melhor o que passou
Por mim, todos os sonhos, habituais
Profissões e talentos, familiares
Que nunca vi, pensar que vivi
É realmente um mistério e o tempo,

Sempre melhor o que passou,
Assim como a impressão de claustro
Que sempre existe no fim de cada
Cela,

imagem de Joel

O tempo, Sempre melhor o que

O tempo,

Sempre melhor o que passou
Por mim, todos os sonhos, habituais
Profissões e talentos, familiares
Que nunca vi, pensar que vivi
É realmente um mistério e o tempo,

Sempre melhor o que passou,
Assim como a impressão de claustro
Que sempre existe no fim de cada
Cela,

imagem de Joel

O tempo, Sempre melhor o que

O tempo,

Sempre melhor o que passou
Por mim, todos os sonhos, habituais
Profissões e talentos, familiares
Que nunca vi, pensar que vivi
É realmente um mistério e o tempo,

Sempre melhor o que passou,
Assim como a impressão de claustro
Que sempre existe no fim de cada
Cela,

imagem de Joel

O tempo, Sempre melhor o que

O tempo,

Sempre melhor o que passou
Por mim, todos os sonhos, habituais
Profissões e talentos, familiares
Que nunca vi, pensar que vivi
É realmente um mistério e o tempo,

Sempre melhor o que passou,
Assim como a impressão de claustro
Que sempre existe no fim de cada
Cela,

imagem de Joel

O tempo, Sempre melhor o que

O tempo,

Sempre melhor o que passou
Por mim, todos os sonhos, habituais
Profissões e talentos, familiares
Que nunca vi, pensar que vivi
É realmente um mistério e o tempo,

Sempre melhor o que passou,
Assim como a impressão de claustro
Que sempre existe no fim de cada
Cela,

imagem de Joel

O tempo, Sempre melhor o que

O tempo,

Sempre melhor o que passou
Por mim, todos os sonhos, habituais
Profissões e talentos, familiares
Que nunca vi, pensar que vivi
É realmente um mistério e o tempo,

Sempre melhor o que passou,
Assim como a impressão de claustro
Que sempre existe no fim de cada
Cela,

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Joel

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Geral Send'a própria imagem minha, Continuo'a ser eu ess’outro … 18 94 01/21/2022 - 18:07 Português
Poesia/Geral Perfeitos no amor e no pranto … 46 108 01/20/2022 - 22:04 Português
Ministério da Poesia/Geral O facto de respirar … 43 126 01/19/2022 - 20:36 Português
Poesia/Geral Não me substituam a realidade 36 91 01/15/2022 - 09:31 Português
Ministério da Poesia/Geral Sou tudo quanto dou e devo ... 18 67 01/04/2022 - 18:16 Português
Poesia/Geral Cada um de todos nós é todo'mundo, 31 262 12/11/2021 - 20:10 Português
Ministério da Poesia/Geral Sem nada … 2 592 07/07/2021 - 14:16 Português
Poesia/Geral A tenaz negação do eu, 2 335 07/01/2021 - 15:31 Português
Poesia/Geral Sou minha própria imagem, 2 400 07/01/2021 - 11:50 Português
Poesia/Geral Há um vão à minha espera 2 383 07/01/2021 - 11:50 Português
Poesia/Geral leve 4 1.994 06/28/2021 - 14:39 Português
Poesia/Geral Feliz como poucos … 1 667 06/24/2021 - 10:53 Português
Poesia/Geral Deus Ex-Machina, “Anima Vili” ... 1 767 06/24/2021 - 10:38 Português
Poesia/Geral Da significação aos sonhos ... 1 762 06/22/2021 - 09:01 Português
Ministério da Poesia/Geral Sonho sem fim, nem fundo ... 1 828 06/21/2021 - 15:27 Português
Ministério da Poesia/Geral Absurdo e Sem-Fim… 1 1.236 06/21/2021 - 15:26 Português
Ministério da Poesia/Geral A Rua ao meu lado ou O Valor do riso... 1 1.178 06/21/2021 - 15:25 Português
Ministério da Poesia/Geral Rua dos Douradores 30 ... 1 943 06/21/2021 - 15:25 Português
Ministério da Poesia/Geral Excerto “do que era certo” 1 808 06/21/2021 - 15:25 Português
Ministério da Poesia/Geral Ladram cães à distância, Mato o "Por-Matar" ... 2 999 06/21/2021 - 15:22 Português
Ministério da Poesia/Geral Morri lívido e nu ... 1 921 06/21/2021 - 15:22 Português
Ministério da Poesia/Geral Sou "O-Feito-Do-Primeiro-Vidente" 1 933 06/21/2021 - 15:21 Português
Ministério da Poesia/Geral Pedra, tesoura ou papel..."Do que era certo" 1 1.171 06/21/2021 - 15:21 Português
Ministério da Poesia/Geral Nada se parece comigo 1 897 06/21/2021 - 15:20 Português
Ministério da Poesia/Geral Quantos Césares fui eu !!! 1 995 06/21/2021 - 15:20 Português