CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Sede dos corpos


Esperança! O que de tuas vontades podes quererdes?

Avante!
Lá, bem avante de lente assoprada
No turbilhão extenso...

Espeta observação e avança e recua
Respira funga e aspira
Do nada que vem de mãos dadas com domínios
Já expostos à carne

Danças de sinos aos ouvidos
O caderno foi rasgado e desabitado
Desabotoado
Passeios descalços longe do abrigo
Pata imunda na depressão revelada por fino suco nos lábios

No cinzeiro alguma cinza se joga
Não há preparo
Mesmo que haja pó ou sangue
Água ou ar
Fogo ou terra

Corredores tornam-se espíritos confidentes
De cada cor gracile ou  na difamada roupa ensopada

O que o teto diz quando narizes estão presos a eles?

Amanhã um trago será roubado
Ou uma cama rasgada na célula que passa sede
Na despregada pele do corpo à estonteante revolta...
Um pé à mesa
Uma mão à massa
 

Submited by

sexta-feira, fevereiro 4, 2011 - 13:45

Poesia :

No votes yet

Alcantra

imagem de Alcantra
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 7 anos 3 semanas
Membro desde: 04/14/2009
Conteúdos:
Pontos: 1563

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Alcantra

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Amor Soma de poemas 5 1.285 02/27/2018 - 11:09 Português
Poesia/Geral Abismo em seu libré 0 1.443 12/03/2012 - 23:35 Português
Poesia/Geral Condado vermelho 0 2.116 11/30/2012 - 21:57 Português
Poesia/Geral Ois nos beijos 1 1.324 11/23/2012 - 10:08 Português
Poesia/Geral Dores ao relento 0 1.628 11/13/2012 - 20:05 Português
Poesia/Geral Memórias do norte 1 841 11/10/2012 - 18:03 Português
Poesia/Geral De vez tez cromo que espeta 0 1.672 11/05/2012 - 14:01 Português
Poesia/Geral Cacos de teus átomos 0 1.174 10/29/2012 - 09:47 Português
Poesia/Geral Corcovas nas ruas 0 1.795 10/22/2012 - 10:58 Português
Poesia/Geral Mademouselle 0 1.027 10/08/2012 - 14:56 Português
Poesia/Geral Semblantes do ontem 0 1.170 10/04/2012 - 01:29 Português
Poesia/Geral Extravio de si 0 1.252 09/25/2012 - 15:10 Português
Poesia/Geral Soprosos Mitos 0 1.851 09/17/2012 - 21:54 Português
Poesia/Geral La boheme 0 1.625 09/10/2012 - 14:51 Português
Poesia/Geral Mar da virgindade 2 1.108 08/27/2012 - 15:26 Português
Poesia/Geral Gatos-de-algália 0 1.869 07/30/2012 - 15:16 Português
Poesia/Geral Vidas de vidro num sutil beijo sem lábios 2 1.220 07/23/2012 - 00:48 Português
Poesia/Geral Vales do céu 0 982 07/10/2012 - 10:48 Português
Poesia/Geral Ana acorda 1 1.493 06/28/2012 - 16:05 Português
Poesia/Geral Prato das tardes de Bordô 0 1.207 06/19/2012 - 16:00 Português
Poesia/Geral Um sonho que se despe pela noite 0 1.221 06/11/2012 - 13:11 Português
Poesia/Geral Ave César! 0 2.011 05/29/2012 - 17:54 Português
Poesia/Geral Rodapés de Basiléia 1 1.178 05/24/2012 - 02:29 Português
Poesia/Geral As luzes falsas da noite 0 1.992 05/14/2012 - 01:08 Português
Poesia/Geral Noites com Caína 0 1.250 04/24/2012 - 15:19 Português