CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Laços da língua

Ocultaste alguma forma descrita
Por lábios que não sonham
Safo quando rezam o doce toque do beijo.

Assim, assinalas vagarosamente
O tempero que respira o cenho franzido
Tão como no revelar do entardecer
Em olhos escritos nas linhas
Do triste papel sol dizendo adeus.

Vieste de longe estando aqui mesmo

Esquadrinhas mais uma vez,
Mas por favor, não esfolas nem esfaqueias
A minha inútil presença.

Inanimada presença minha inútil
Refletida numa exótica garrafa Hapsburg!

Sutilmente estranhavelmente voas pela porta
Saqueias com destreza um olhar
Arpoas com sabedoria uma palavra
Recém-nascida dum pensamento prenhe.

Um fino som de ferido sino aldravaste,
Tão adelgaçado!

De vez em quando choras o mundo em chamas
Num apocalipse dantesco apocalíptico
Dentro atentamente dentro de si guerreias.
És o horizonte partido perdido
Que se esqueceu nu em pranto
Ao leme desatino dum barco fantasma
Esperando uma colisão espontânea.

Com os olhos semicerrados
E mesmo com minha presença distante
Sua voz agigantou-se aos meus ouvidos:
Subtrais o seu nome à zero
Cada vez que escarra um perdão

Ainda assim, mamas com prazer a bebida
E tragas com dor o tabaco

Submited by

terça-feira, dezembro 15, 2009 - 19:46

Ministério da Poesia :

No votes yet

Alcantra

imagem de Alcantra
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 5 anos 20 semanas
Membro desde: 04/14/2009
Conteúdos:
Pontos: 1563

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Alcantra

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Amor Soma de poemas 5 749 02/27/2018 - 12:09 Português
Poesia/Geral Abismo em seu libré 0 943 12/04/2012 - 00:35 Português
Poesia/Geral Condado vermelho 0 1.224 11/30/2012 - 22:57 Português
Poesia/Geral Ois nos beijos 1 923 11/23/2012 - 11:08 Português
Poesia/Geral Dores ao relento 0 1.182 11/13/2012 - 21:05 Português
Poesia/Geral Memórias do norte 1 564 11/10/2012 - 19:03 Português
Poesia/Geral De vez tez cromo que espeta 0 1.139 11/05/2012 - 15:01 Português
Poesia/Geral Cacos de teus átomos 0 807 10/29/2012 - 10:47 Português
Poesia/Geral Corcovas nas ruas 0 1.288 10/22/2012 - 11:58 Português
Poesia/Geral Mademouselle 0 694 10/08/2012 - 15:56 Português
Poesia/Geral Semblantes do ontem 0 745 10/04/2012 - 02:29 Português
Poesia/Geral Extravio de si 0 824 09/25/2012 - 16:10 Português
Poesia/Geral Soprosos Mitos 0 1.379 09/17/2012 - 22:54 Português
Poesia/Geral La boheme 0 1.014 09/10/2012 - 15:51 Português
Poesia/Geral Mar da virgindade 2 656 08/27/2012 - 16:26 Português
Poesia/Geral Gatos-de-algália 0 1.347 07/30/2012 - 16:16 Português
Poesia/Geral Vidas de vidro num sutil beijo sem lábios 2 861 07/23/2012 - 01:48 Português
Poesia/Geral Vales do céu 0 712 07/10/2012 - 11:48 Português
Poesia/Geral Ana acorda 1 1.009 06/28/2012 - 17:05 Português
Poesia/Geral Prato das tardes de Bordô 0 689 06/19/2012 - 17:00 Português
Poesia/Geral Um sonho que se despe pela noite 0 794 06/11/2012 - 14:11 Português
Poesia/Geral Ave César! 0 1.683 05/29/2012 - 18:54 Português
Poesia/Geral Rodapés de Basiléia 1 858 05/24/2012 - 03:29 Português
Poesia/Geral As luzes falsas da noite 0 1.524 05/14/2012 - 02:08 Português
Poesia/Geral Noites com Caína 0 949 04/24/2012 - 16:19 Português